terça-feira, 4 de março de 2008

A vontade e tal...

No que se traduz uma vontade que vem de dentro mais as impossibilidades que nos rodeiam na concretização de tal desejo?

No que se traduz uma vontade que vem de dentro mais as possibilidades que nos rodeiam na concretização de tal desejo?

Prefiro responder a segunda questão: Encontrar e criar soluções a concretização dos nossos desejos é nada mais nada menos que criar um prazer de satisfação superior ao sentimento de objectivo ainda por alcançar.


Também respondo a primeira questão: Valorizar algo que não sente por nós, é criar em nós próprios a limitação inadequada a nossa razão de ser...

vontade + impossibilidades = tempo perdido com desgosto adquirido ao quadrado.

vontade + possibilidade = tempo investido com um prazer incalculável.

Tudo o que vemos + Tudo o que sentimos = A nós nos pertence!


5 comentários:

Anónimo disse...

Ora aqui está uma verdade da qual me identifico. Quando via as impossibilidades era mesmo tempo perdido, agora que só vejo as possibilidades é um enorme prazer lutar pelos meus desejos!!
Parabéns pelo blog!!

S

Anónimo disse...

Ora aqui está uma verdade da qual me identifico. Quando via as impossibilidades era mesmo tempo perdido, agora que só vejo as possibilidades é um enorme prazer lutar pelos meus desejos!!
Parabéns pelo blog!!

S

charroco disse...

Epá , desculpa lá ter atracado aqui , mas o raio do motor da traineira já se avariou outra vez , é a porcaria da vela que de vez enquando encharca . É o que faz comprar coisas no chinês , são baratas mas ...

Já agora curti o blog , é baril .

Abraços .

Cati disse...

Mas que grande equação! Um ponto de vista bastante interessante...

Beijinhos e bom resto de fim de semana!

Sofia disse...

Está bem visto... mas neste momento quando olho em volta vejo mais impossibilidades do que possibilidades... mas aceito que parte da culpa é minha e somente minha! MAS NÃO É TODA MINHA! Há para aí umas ministras (ok - é só uma mas vale por muitas) que me tolda a visão das muitas possibilidades que poderiam existir!

Beijinhos